Livros solidários darão bibliotecas na Guiné

Ex-militares de Leiria estão a recolher 20 toneladas de livros…
Os livros escolares, que antes passavam de irmão para irmão e que hoje se a amontoam nas prateleiras e sótãos, podem ter um destino mais digno e útil.
Apesar do nosso país ter muito défice, a sorte e as circunstâncias levam-nos a estar muito distantes das vivências dos Guineenses e, no fundo, o que nos distingue é o local onde nascemos – e isso interpela quantos param para pensar… e leva muitas vezes a arregaçar as mangas.
Um grupo de ex-militares da região de Leiria, obrigados na sua juventude a partir em circunstâncias muitas vezes penosas, voltou às terras da Guiné onde tinha combatido há trinta anos atrás. Depois do que viram, decidiram trabalhar a fim de proporcionar bibliotecas: meios de cultura, formação, base de desenvolvimento de qualquer cultura, sociedade.
O mais complicado é o processo burocrático, angariar fundos para pagar o contentor; esse é um trabalho que está a ser realizado pelos ex-militares em cooperação com a AMBESSE (Associação de Melhoramento e Bem Estar de Santa Eufémia).
Para estas bibliotecas na região de Bafatá, todos os livros servem, exceptuando geografia e história nacional. Os militares já têm 3 toneladas (vindos de Guimarães, Benedita, Caldas da Rainha, Lisboa, dos Jovens Sem Fronteiras da região centro…), mas ainda faltam 17. Cabe a cada um de nós pensar no assunto, procurar os livros e entregá-los na Cáritas de Leiria, no seminário de Leiria, na Farmácia David em Santa Eufémia ou na oficina Manuel Faria em Santa Eufémia.
Deixamos o desafio de uma solidariedade que também visa a nossa língua materna, a formação de outros que têm menos possibilidades que nós… e desde já o nosso agradecimento.

Jovens Sem Fronteiras – Lúcia Pedrosa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *